Vereador volta ao grupo de Whats, desabafa e cita, "jamais diria isso a Prefeita, pois respeito ela"

A repercussão foi tamanha que o próprio vereador retornou ao grupo no dia seguinte e exclamou, "Bom dia Colegas vereadores, sobre o audio que vazou, deste grupo de amigos, quero dizer que vocês me conhecem e dessa forma me expresso, mas infelizmente foi quebrado o elo de confiança deste grupo. O audio vazado sem minha autorização era uma conversa particular deste grupo e em hipótese alguma era para esse aúdio chegar a nossa Prefeita, porque jamais eu diria isso pra ela, até porque respeito ela. Eu falei isso em uma conversa nossa do grupo, mas tem sempre um sem vergonha, cafageste e mal carater, que se presta para denegrir a imagem dos outros. Isso é para se beneficiar e favorecer a si próprio. Tudo bem, um abraço a todos, bom dia e esqueçam, o Garrão morreu pra vocês. Um abraço a todos".


Nota de esclarecimento do vereador


Diante dos acontecimentos, sinto-me no dever de explicar os fatos tais como ocorreram: O áudio vazado saiu de um grupo particular. Com isto, foi rompido um elo de confiança. Politicamente, tenho minhas diferenças com a Prefeita, principalmente com a forma como o seu partido, o PSB administrou Livramento nos últimos tempos. Em grupos políticos privados, tratamos este tipo de assunto. Não posso concordar com postagens que estão sendo feitas, querendo dar uma conotação além da verdade, pois não sou contra as mulheres. Sou casado há 44 anos, tenho 3 filhas, minha mãe com 82 anos, consequentemente tenho total consideração com todas as mulheres. O momento exige prudência. Quem divulgou este áudio? O que há por trás de tudo isto? Quem me conhece sabe que tenho um linguajar popular e que utilizo palavras com duplo sentido. Por este motivo, quero explicar que as expressões por mim utilizadas em “áudio particular”, demonstravam meu inconformismo com a relação nada republicana que a Prefeita vem mantendo com os Vereadores. Peço que interpretem dentro de um contexto, pois é comum utilizarmos figuras de linguagem para demonstrar nossos sentimentos ou emoções, muitas vezes no ardor da paixão politica. Ainda, devo esclarecer que minha divergência é politica, e não pessoal, com a Prefeita Mari Machado e, muito menos, com as mulheres como um todo, a quem devo respeito e admiração. Por fim, quero dizer que uma conversa em “âmbito particular” não pode ser usada como palanque eleitoral, pois jamais tais palavras foram usadas publicamente e nem seriam usadas, pois não é essa minha índole. Sei que existe muito preconceito comigo, pois sou de origem humilde e lutei muito para chegar até onde cheguei, para ocupar o cargo que ocupo e desempenhar a função de advogado. Concluindo, aprendi a mais dura lição: o verdadeiro inimigo não é aquele que te enfrenta de peito aberto e sim o que, ardilosamente, se faz passar por amigo. Postei mensagem num grupo que entendi ser de amigos e colegas, mas fui surpreendido pela política baixa e rasteira, utilizada de forma anônima e covarde contra minha pessoa. Se, por ventura, alguma mulher se sentiu atingida, peço as mais sinceras desculpas, pois esta NÃO FOI e NUNCA SERÁ a minha intenção, a começar por minha mãe, com 82 anos, minha esposa, com quem sou casado há 44 anos, minhas três filhas, tesouro maior de minha vida, registrando, ainda, meu respeito a todas as minhas colegas advogadas, a quem jamais tive a intenção de atingir.

Santana do Livramento, 07 de abril de 2020. Vereador Ulberto Navarro (Garrão)


Foto: Assessoria de Imprensa do Vereador Garrão


1,459 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções