Família luta para restaurar visão de santanense e pela sua saúde



Na manhã desta terça-feira (11), a equipe do Sentinela 24H foi até as imediações da Cohab do Armour, acompanhar toda a história da dona Mônica e sua família, unidos para recuperar a visão da mulher e lutar pela sua saúde.


Mônica Ruidias Espindola e seu esposo Angelo "Tigrão", são figuras conhecidas e queridas na comunidade santanense, onde por muitos anos venderam lanches nas saídas dos clubes e nos finais das festas.


Segundo a santanense contou, sua luta se iniciou por volta de 1 ano e meio atrás, quando a mulher sentiu que estava perdendo a visão do olho direito, "Eu sentia que estava perdendo devagarinho". Ela então marcou uma consulta em Rosário, onde o médico lhe informou que a visão do seu olho estava somente com 40%, e seria necessária uma injeção, podendo ou não voltar a enxergar.


Infelizmente, não só a visão do olho direito de Mônica não retornou, como posteriormente seu olho esquerdo acabou sendo afetado. Desesperada e com medo de perder totalmente a visão, a santanense conseguiu uma requisição para ir consultar em Porto Alegre, porém se passaram seis meses e ela não foi chamada.


Durante esse período a situação se tornou ainda pior, e ela foi obrigada a consultar em Rivera. O médico então informou que infelizmente ela havia perdido a visão do seu outro olho, e que haveria a chance de 30% de recupera-la, porém seriam necessárias três ou quatro injeções de Avastin para tentar voltar a enxergar. "A chance é mínima, mas eu acredito em Deus. Ele vai trazer minha visão de volta".


O médico alertou que é necessário fazer as injeções de qualquer maneira, para evitar problemas mais graves futuramente, "Minha dor é muito forte".


Porém, outro problema que a família enfrenta é o alto valor desses medicamentos, visto que cada injeção custa em torno de R$ 3.500,00. Além disso, apesar de Angelo estar trabalhando, seu principal negócio, que eram os lanches nas saídas das festas, parou devido a pandemia. "Já pensamos até em vender o carro", contou Mônica, porém o veículo é necessário para locomover a mulher.


Com o alto valor das injeções e dos remédios, a família se uniu e organizou uma rifa, para ajudar nos custos do tratamento da santanense, que não pode aguardar mais. Para adquirir números, divulgar ou saber mais da situação, basta entrar em contato através das redes sociais de Amanda Ruidias, filha de Mônica.


Doações também são aceitas via Pix, sendo que a chave é: 55984497213.


Durante a entrevista, Mônica pediu para aqueles da comunidade da Fronteira da Paz, que possam ajudar com orações, que orem por ela e por sua saúde.


Foto: Lucas Bichinque | Sentinela 24H


1.749 visualizações0 comentário