Entre Vírgulas: Traição



Quem já não passou pela descoberta de uma traição? Por este sentimento frio, leviano, assustador que nos deixa incrédulos frente a situação. O que antes era seguro, firme, uma certeza, passa para a incerteza, para a corda bamba nos tirando o tapete debaixo dos pés. E é neste exato momento que o veredito final é anunciado: É o fim da relação!


Nada mais poderá ser como antes. O que era cristalino, fica turvo, as cores perdem a cor, o olhar já não é mais o mesmo e tudo vira uma dúvida. E dificilmente uma traição é perdoada e nós mulheres prestamos a atenção em tudo a nossa volta.


Gravamos tudo o que está acontecendo, somos sorrateiras, perspicazes, silenciosas como as leoas. Numa discussão traremos à tona os segredos mais íntimos, o que ficou guardado, o que ele pensou que passou em branco. A maioria dos homens acreditam que seus erros ficarão impunes, que nada mais é julgado, que estão livres! Sem chance!


No mundo feminino o martelo será batido a todo momento. E isso será para toda a vida porque nossa memória não perdoa e sempre será cobrado mais uma e uma e tantas outras vezes uma explicação. Toda a mulher carrega o símbolo da justiça dentro de si mesma.


Não desmascaramos mentiras, mas preparamos o terreno, arrumamos o círculo, a cama, para no momento certo dar o flagrante. Somos detalhistas, nas palavras, na audição, no tato, em tudo que nos confere informações. Nossa sensibilidade está ligada na tomada, a flor da pele e nossa ausência é nula.


Estamos conectadas o tempo todo sem pausa, sem perda de tempo. Somos melhor que qualquer detetive, polícia ou perito. Nosso lema: "Estar alerta!"


Isso nos acarreta consequências negativos como irritabilidade, dor de cabeça, noites mal dormidas, falta de apetite, etc... Mas faz parte!


Não há possibilidade de enganar uma mulher. A única forma é ela se enganar pela própria vontade!

120 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo