Da linha de frente ao isolamento: Santanense fala sobre testar positivo para Covid



Durante a sexta-feira (24), a reportagem do Sentinela 24H conversou com o santanense Fabiano Fialho. O técnico em enfermagem de 27 anos, trabalha na Emergência do Instituto de Cardiologia em Porto Alegre.


Após meses atuando na linha de frente do combate ao Coronavírus da instituição, o santanense acabou testando positivo para Covid nos últimos dias. Agora já recuperado e prestes a retornar ao seu trabalho, Fabiano conversou com nossa equipe e relatou o que ele vivenciou durante esses dias, da perspectiva de profissional até a de paciente.


Questionado sobre como o santanense enxergava a pandemia desde o inicio e antes de positivar, ele contou, "Assim como a maioria das pessoas eu acredito que quando o surto estourou na China, eu acreditei no início que não seria algo de uma dimensão tão grande como está sendo, e que o surto não chegaria ao Brasil. A partir do momento que começaram a surgir os casos no Brasil e as proporções começaram a se intensificar, o primeiro sentimento que eu tive foi medo. Medo por estar sozinho em Porto Alegre e longe de casa e da minha família. Mas esse medo acabou se diluindo a partir do momento em que eu reafirmei pra mim que essa é a profissão que eu escolhi e que situações adversas como a que vivemos hoje poderiam acontecer a qualquer momento. Apenas fortaleci dentro de mim o meu compromisso com o cuidar do outro e me mantive firme executando o meu trabalho da melhor maneira possível".


Sobre a descoberta, Fabiano contou que "Descobri meio que no caso. Em meio a tanta pressão e correria, é certo que chega uma hora que o nosso corpo começa a dar sinais de alerta. Eu acabei tendo uma crise hipertensiva e precisei ser atendido no Instituto de Cardiologia, e ao passar pela triagem foi constatado que eu estava com febre. Tendo a febre já sendo um sintoma característico de Covid, o hospital seguiu todos os protocolos e automaticamente já fui conduzido para o isolamento e fiz a coleta do material pra fazer a análise. Após isso fui liberado pra vir pra casa e manter o isolamento até que saísse o resultado".



Nossa reportagem perguntou para o Técnico em Enfermagem como havia sido para ele essa inversão de papeis, de linha de frente para paciente, e se ele imaginava que em algum momento iria contrair o vírus. Fabiano desabafou, "Desde o início a gente sempre meio que foi se preparando para o fato de que em algum momento iria positivar, até porque estar na linha de frente é um risco muito maior e as chances de acontecer a contaminação também. Eu acreditava de fato que não iria positivar, que era só uma febre por conta de uma dor de garganta que eu tinha tido mas que já estava medicado. Os dias foram passando e eu comecei a desenvolver outros sintomas como perda de olfato e paladar e sentir um certo desconforto para respirar principalmente durante a noite. Um dia acordei e tinha mensagem da minha chefia enviando o resultado do exame como positivo. Naquele momento foi como se tivesse aberto um buraco no chão e eu caído pra dentro. Confesso que minha cabeça deu um nó absurdo porque ao mesmo tempo que eu sabia que eu estava bem dentro do quadro eu também sabia que poderiam haver complicações durante os próximos dias, que pra minha felicidade não foi o que aconteceu."


Sobre seu estado de saúde, e o retorno as atividades logo após vivenciar a experiência de ser um paciente, o santanense relatou que, "Já fiz o isolamento e realizei uma nova coleta de material para garantir que eu já estivesse negativado e pronto pra voltar ao trabalho. No momento eu já estou sem nenhum sintoma e com resultado negativo. Essa semana ainda tenho consulta com a medicina do trabalho para uma avaliação e devo retornar ainda neste final de semana. O que eu posso te dizer é que eu estou morrendo de saudade do hospital e de toda aquela rotina corrida da emergência e com certeza agora eu volto com muito mais gás, com muito amor e com muito mais certeza de que a Enfermagem é o meu chão e de que nosso trabalho (apesar de muito desvalorizado) é de vital importância".


Fotos: Acervo Pessoal



2.310 visualizações0 comentário