Conheça quatro itens que serão obrigatórios nos carros a partir desta quarta-feira


A partir desta quarta-feira (29/01/2020), os automóveis que forem fabricados ou vendidos em território brasileiro deverão contar com quatro itens obrigatórios de segurança. A mudança obedece a duas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e atingem todos os modelos, mesmo os populares.


Três deles são chamados de segurança passiva: cinto de segurança de três pontos, apoios de cabeça para todos os ocupantes e fixação do tipo Isofix para cadeiras infantis. Há também o de segurança ativa: o controle de estabilidade.


Este último ajuda o motorista no momento de movimento brusco, como frenagem, curva ou ultrapassagem. O controle de estabilidade só é ativado pelo volante, em contato com os sensores, em uma hora de perigo. É um instrumento considerado essencial, por exemplo, pela Latin Ncap, órgão especialista em testes de segurança.


Um dos itens mais importantes, segundo especialistas, é o cinto de três pontos. O equipamento faz com que a segurança aos passageiros seja bem maior em relação ao cinto subabdominal, que fica somente embaixo da barriga e não passa na frente do tronco. Atualmente, os carros mais novos têm em quase todas as posições. Somente o passageiro traseiro central, geralmente, não conta com ele. Agora, é obrigatório.


O Isofix, para a ancoragem das cadeirinhas de crianças, precisa de pontos específicos de fixação. Dois deles ficam na base da cadeira e dois se encontram no veículo, entre o assento e o banco de trás. Ainda há um gancho no bebê-conforto que precisa ser ligado diretamente ao carro (pode ser no chão, atrás do encosto ou na lateral).


É o item mais complexo porque todas essas ancoragens precisam ser feitas na estrutura dos bancos ou mesmo no monobloco. Entretanto, já é usado no mundo inteiro como equipamento mais seguro para as crianças menores.


Por fim, o encosto para cabeça, apesar de parecer sem importância, é essencial para maior proteção do pescoço. Principalmente em casos de colisão traseira.


Ajustes

Nos automóveis já produzidos e comercializados no Brasil, mas que terão pequenas atualizações — mudança de ano e modelo, por exemplo —, as alterações só estão previstas para 2022.


Até o último dia antes da obrigatoriedade, alguns modelos ainda não tinham todos ou algum dos itens. Eram eles os Volkswagen Fox, Gol, Saveiro (cabine dupla), Up e Voyage; o Citroën C3; os Fiat Doblò, Grand Siena e Strada; o Nissan March e o Renault Kwid.


Todas as fabricantes, porém, afirmaram que os projetos serão adaptados para chegarem ao mercado obedecendo as novas regras.


Fonte: Porto Alegre 24 Horas

21,540 visualizações0 comentário