Com dívidas, Planalto Transportes pede recuperação judicial



A empresa Planalto Transportes, tradicional empresa de ônibus que opera grande parte das linhas intermunicipais no Rio Grande do Sul e também interestaduais para fora do Estado sediada em Santa Maria e Porto Alegre, ingressou no final de julho com um pedido de recuperação judicial. Segundo informações, a empresa, que está com dívidas na casa de R$ 197 milhões, fez o pedido após ser seriamente afetada com a queda de passageiros por causa da pandemia de covid-19.


A empresa teve cerca de 50% de redução no volume de passageiros transportados e com isso, reduziu o quadro de funcionários pela metade, número de linhas e os salários de diretores por conta da queda de receita decorrente da baixa procura por passagens e restrições de circulação. Com o pedido de recuperação judicial, a direção da empresa espera pode ganhar prazo para seguir operando e com isso, conseguir pagar seus credores.


Atualmente, a frota da Planalto Transportes é composta de 250 ônibus, e nos últimos meses, a empresa segue disponibilizando de forma gradativa os horários de suas linhas intermunicipais e interestaduais. As viagens que saem de Porto Alegre, a ocupação liberada pelas autoridades é de 100% dos veículos. Para ônibus que saem do Centro do Estado, é de até 75% de ocupação.


Cabe salientar que apesar do pedido de recuperação judicial, a empresa segue operando suas rotas normalmente, respeitando todos os protocolos de segurança sanitária, disponibilizando seus modernos ônibus para os mais diversos destinos. Confira a nota da empresa:


Todos têm acompanhado os efeitos que a pandemia da Covid-19 tem provocado na sociedade, desencadeando uma grave crise sanitária e econômica no mundo, afetando de maneira brutal os negócios de todas as empresas.


A limitação de ocupação nos veículos de transporte de passageiros e o impedimento de circulação de ônibus por vários meses em determinados mercados, impactaram profundamente a receita da Planalto Transportes, principal empresa do grupo JMT. Nem mesmo a implantação de diversas ações de redução de custos e despesas foram suficientes para enfrentar a queda da receita e aumento de custos, como os combustíveis que tiveram reajustes superiores a 40%.


Diante dessas circunstâncias não restou outra alternativa, senão requerer junto ao Poder Judiciário a recuperação judicial, no sentido de preservar os empregos e as empresas, adequando os compromissos financeiros à geração de caixa possível diante desta nova realidade de mercado.


Confiante na tradição dos 73 anos de serviços prestados e de referência no transporte de passageiros no Rio Grande do Sul e no Brasil, as empresas seguirão trabalhando na recuperação das empresas e na manutenção dos postos de trabalho.


A Planalto Transportes continuará operando todas as linhas, mantendo as mesmas frequências de dias e horários, com a mesma qualidade, cumprindo sua responsabilidade com a comunidade e seus clientes.


DIRETORIA JMT ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÕES LTDA


Porto Alegre, 27 de julho de 2021


Fonte: Marcelo Ribeiro | Caderno 7

365 visualizações0 comentário