top of page

Brasil quer mostrar soluções além de Neymar e encaminhar avanço contra a Suíça

O Brasil espera mostrar ao mundo, quando enfrentar a Suíça às 13h desta segunda-feira, que continua sendo forte candidato ao título na Copa do Mundo do Catar, apesar dos desfalques de Neymar e Danilo. Contra os suíços, no estádio 974, a Seleção tem a chance de se classificar para as oitavas de final de forma antecipada e mostrar autoridade sem seu principal jogador, que machucou o tornozelo na estreia contra a Sérvia.


Neymar realiza um tratamento de fisioterapia para tentar se recuperar o mais rápido possível e ajudar o time brasileiro na busca pelo hexa no Catar. O astro do Paris Saint-Germain disse que tem "certeza" de que voltará a ter minutos em campo na Copa, mas a realidade é que o técnico Tite terá que suprir sua ausência na segunda rodada do Grupo G.


O vencedor deste duelo estará automaticamente classificado para a próxima fase se houver empate no outro jogo da chave, entre Sérvia e Camarões. "Com o talento, com o grupo que temos, com os jogadores que temos, vamos conseguir manter o nosso nível", disse o zagueiro Marquinhos em entrevista coletiva em Doha. Embora o camisa 10 seja um desfalque importante, Tite tem várias opções para substituí-lo. Devido a suas várias ausências por suspensão ou lesão, a Seleção aprendeu a viver sem sua estrela: sem ele, conquistou a Copa América de 2019 e não perdeu sete jogos das Eliminatórias Sul-Americanas (cinco vitórias e dois empates).


Em quatro destas ocasiões, o meia Lucas Paquetá assumiu sua função. O meia do West Ham ocupou a primeira linha de meio-campo ao lado de Casemiro contra a Sérvia, mas pode jogar mais avançado para a entrada de um volante como Fred ou Bruno Guimarães. Rodrygo, de 21 anos, também se apresenta como "curinga" e pode exercer o papel de camisa 10, posição que já ocupou no Real Madrid.


A Suíça do técnico Murat Yakin parece indiferente ao burburinho em torno do quebra-cabeça de Tite para montar sua equipe. "Não muda nada para nós e não torna a nossa tarefa mais fácil. Analisamos o time e o papel de cada jogador. Se um jogador não pode atuar, conversamos sobre isso. Mas acho que eles vão conseguir substituir bem o Neymar e precisamos estar preparados", analisou Yakin em coletiva neste domingo.


A seleção suíça, com o atacante Breel Embolo, vai tentar quebrar a invencibilidade do Brasil, que vem de 16 jogos sem derrota. "Sabemos do desafio, mas não vamos nos esconder. Sabemos da nossa qualidade e que somos capazes de mostrar", acrescentou o zagueiro Nico Elvedi. "É possível vencer qualquer equipe do mundo".



0 comentário
bottom of page