Avanço da Covid-19 no Rio Grande do Sul preocupa Gabinete de Crise

O Rio Grande do Sul vive um novo capítulo epidemiológico. O Gabinete de Crise admitiu preocupação com o avanço das subvariantes da Covid-19, BQ.1 e BE.9. Conforme o comitê científico, elas possuem alta possibilidade de transmissão. Entretanto, em reunião do Grupo de Trabalho, nesta quarta-feira, o governador Ranolfo Vieira Júnior e seus pares avaliaram que não é o momento de emitir avisos ou alertas.


De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), os números de casos positivos, acumulados em sete dias, triplicaram no RS, passando de um pouco mais de 1 mil, no início de novembro, para os atuais 4,6 mil. As internações clínicas aumentaram de 78 para 181, e nas UTIs a elevação de internações foi menor, de 20 para 36 casos. Os óbitos não apresentam elevação significativa.


A principal recomendação neste momento é estar em dia com a vacina e manter os cuidados e medidas não-farmacológicas, como uso de máscara em caso de sintomas gripais, álcool gel para higienizar as mãos, entre outros. “Vamos seguir divulgando a necessidade de se estar com o ciclo vacinal completo para combater a covid-19. Essa é a principal medida para reduzir as contaminações e efeitos da pandemia”, ressaltou a secretária adjunta da SES, Ana Costa.


Anvisa retoma máscaras


Em razão das novas subvariantes e do aumento de casos no país, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu pela obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos e aviões. O governo do RS, por meio da SES, emitirá uma nota técnica sobre o assunto.

Fonte: Correio do Povo

128 visualizações0 comentário