Ataque racista em meio ao Covid-19 causa revolta na Fronteira, "Uma negra macaca contaminada"

Uma postagem causou revolta na Fronteira da Paz em meio a toda união das pessoas para a não propagação do Covid-19. Ao saber que uma brasileira estava infectada e possivelmente pode ter passado para uruguaios durante uma viagem de Montevideo para Rivera, uma mulher na qual a redação não informará o nome, proferiu ataque racista e xenofóbico, ao chamar a jovem de 20 anos de "macaca". citando exatamente a frase, "uma negra macaca contaminada. E deixaram esse contrabando contaminar e ir pra Livramento'.


Em outra publicação, ela critica Ernesto Talvi, por medir esforços para trazer uruguaios que estavam espalhados pela américa latina, "Talvi é um cínico, trazendo gente contaminada para o uruguai. Não queremos aqui".

A reação dos internautas foi imediata e horas depois a Riverense apagou a postagem, não sendo suficiente para que as pessoas, em especial, grupos que defendem a cultura afrodecentente emitisse uma nota de repúdio a mesma.


O que disse a nota oficial do grupo


O GRUPO NEGROS E NEGRAS DA FRONTEIRA, por meio de seus representantes, vem manifestar o seu repúdio ao ato de discriminação racial promovido recentemente em nossa Fronteira, o mesmo está rodando principalmente nas principais mídias virtuais. A Constituição da República, garantidora dos direitos fundamentais da pessoa humana, bem como as normas de direito racial e discriminatório, impõem às autoridades constituídas o firme combate e responsabilização dos agressores. Os referidos atos de intolerância que contaminam o ambiente social e de qualquer prática de discriminação precisam ser combatidos também com veemência pelas instituições e sociedade organizada. É inadmissível que nos dias de hoje, cuja característica principal é a de agregação entre os povos, preocupação com esta horrível Pandemia de Coronavírus, tenhamos que conviver com atitudes criminosas de discriminação contra quaisquer ser humano. A discriminação por cor, orientação sexual, religião, etnia ou qualquer outra condição precisa ser banida das relações sociais, cabendo à sociedade organizada o seu mais firme e contrário posicionamento contra estes verdadeiros atos de covardia, ressaltamos também, que independente de cor não iremos nos calar diante de uma discriminação tamanha referente a nacionalidade, Brasil/Uruguai, pois vivemos em uma fronteira Irmã e queremos que assim seja, não só na teoria mas principalmente na pratica!!! PEDIMOS NO MINIMO UMA RETRAÇÃO PUBLICA DESTA SENHORA



4,460 visualizações0 comentário