Artista da Fronteira é destaque com suas artes incríveis



A Fronteira da Paz é berço de artistas nos mais variados ramos, entre eles o desenho. Santanenses e riverenses compartilham seu talento, seu trabalho e seus sonhos nas redes sociais, incentivando que a cada dia, outros se sintam encorajados e também corram atrás dos seus objetivos.


Do lado uruguaio da Fronteira, Santiago Bentancourt demonstra sua paixão desde muito pequeno pelos desenhos, e seu desejo que esse mercado cresça e se destaque aqui na nossa região, assim como os artistas.


Conheça um pouco mais do cartunista:


Meu nome é Santiago Bentancourt Díaz, tenho 24 anos, e sou nascido e criado na Fronteira da Paz, sou desenhista por natureza e espero algum dia, de profissão. O desenho entrou na minha vida antes até que a razão argumentativa, por isso não tenho lembranças de uma época sem lápis espalhados pela casa.


A ilustração é uma arte arte multifacetada, e pode se apresentar com várias formas, em ilimitadas atividades diferentes. É uma arte sequencial, mais especificamente da história em quadrinhos, onde se executa com maestria duas das minhas maiores paixões: desenhar e contar histórias.


Aos 9 anos de idade, vi exposto em uma vitrine um pequeno livro. Na capa deste, um desenho de Raditz, personagem da série japonesa Dragon Ball. Quase por instinto, tomei o livros nas mãos e explorei fascinado cada uma das suas páginas. Tempos depois, descobri que aquele era um manga, palavra japonesa que se refere a uma história em quadrinhos. Não o levei para casa, mas esse encontro de sorte representou o primeiro contato com um mundo, que até hoje, sonho em pertencer.

Nesse mesmo ano me dediquei a criar minhas primeiras revistas, que imitavam de forma bastante rudimentar, mas com muito entusiasmo, aquilo que eu havia visto. As vezes imaginava personagens com suas próprias histórias, outras vezes contando da minha maneira algumas dos desenhos animados que eu assistia nos canais infantis da televisão. Comecei a compartilhar meu trabalho com meus colegas de história. Meu sucesso foi maior que o esperado, tanto que a professora pegava minhas ''revistas'' e as empilhava na sua mesa, no começo das aulas. Logo de passar uma lição, todo aquele que terminasse o trabalho podia pegar uma das minhas criações e se sentar para ler.

Minhas maiores influencias sempre foram estrangeiras: europeias, norte americanas e principalmente japonesas. Por isso, meus olhos sempre estiveram fora do país. Me mudei 4 anos ao sul, mais especificamente para Maldonado, onde cursei o curso de Línguas e Meios Audiovisuais da Universidade da Republica, com o objetivo de me profissionalizar e obter ferramentas para dar meu grande salto. O resultado foi uma experiência reveladora, que causou que mesmo me mantendo longe, comecei a sentir mais apego pela minha terra natal. Foi em 2017 durante uma viagem para a França, que realizei para cursar a oficina de uma escola de animação de Paris, Gobelins, l'École de l'image, considerada a melhor da Europa, onde pude testemunhar a extensão do poder de um grupo de artistas organizado em uma revista. Em uma loja de quadrinhos, me descobri sonhando de olhos abertos, e nesse sonho enxergava a Rivera e Livramento criando, consumindo e exportando narrativa gráfica de autoria local. Desde então, essa fantasia tem sido minha motivação para continuar contribuindo do meu jeito, coisa que faço desde que voltei a morar em Rivera, no final de 2019.

Ao longo dos anos, tenho visto meus desenhos publicados esporadicamente em jornais locais, ilustrando contos e decorando algum livro; com 10 anos, realizei a arte da campanha de Natal de uma empresa local; já desenhei logos para campanhas, eventos e organizações como a ONG ''Mujeres Celebra La Vida''. Fiz animações de personagens para aplicativos. Expus meu trabalho na primeira edição do Artist Alley Uruguay, junto a outros artistas uruguaios como Diego Tapié e Matías Bergara. Recentemente, fui convidado pela editora nacional CostaComics para participar com dois capítulos na segunda entrega da série ''El Octavo Día'', a qual tem previsão de ser publicada no decorrer deste ano. Anteriormente, fiz uma aparição na número 01, colaborando com uma ilustração. Será meu ''debut'' formal como cartunista. Algumas copias estarão disponíveis na Fronteira, e me fará muito feliz poder compartilhar com o público que compartilhe minha paixão, assim como uma vez fiz com meus colegas de escola.



Por fim, convido a todos aqueles cujo sonho se pareçam com o meu, a confiar no seu próprio talento, trabalhando diariamente para alcançar esse futuro que é possível, caso se ponha empenho e dedicação.


Sim, podemos! Contato: Whatsapp: +598 98 195 123 Facebook: Santiago Bentancourt Díaz Instagram: @santbd Correo: bentancourtsantiago@gmail.com





393 visualizações0 comentário