CBF quer cobrar de emissoras de rádio por direitos de transmissão


A relação entre a CBF e os veículos de imprensa poderá apresentar uma modificação significativa a partir do ano que vem. Uma ideia, que já vinha sendo discutida internamente, ganhou visibilidade após a entrevista do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, após o jogo contra o Grêmio, no último sábado (6), na Arena.

Ao questionar a presença de vários veículos de comunicação na cobertura dos jogos, o mandatário corintiano apenas deu visibilidade a algo que vem desagradando não apenas a ele, mas também a outros dirigentes brasileiros. Vice-presidente da CBF, Francisco Novelletto é enfático ao defender que as mudanças já deveriam ser implementadas para 2020:

— Eu estou falando pela minha cabeça e por mim: no ano que vem, só vai transmitir quem pagar, e está absolutamente certo. Tem que ser como na Copa do Mundo. Eu estou acelerando para que isso seja implementado já no ano que vem e posso dizer que o movimento se acelerou após a entrevista do Andrés. Ele que está puxando, mas já existem outros presidentes que são favoráveis.

Os valores ainda não foram colocados em discussão, mas a ideia é cobrar não apenas de emissoras de rádio tradicionais, mas também de webrádios, portais, blogs.

— Os clubes precisam de dinheiro. O dinheiro iria para a CBF, que repassaria para os clubes. É o tal negócio: quem tem competência fica. Lá em São Paulo, existem 50, 60 pessoas participando de uma entrevista, e a maioria não tem compromisso com o que diz. Se a TV paga, por que os demais veículos não podem pagar? — questiona o dirigente.

A ideia de cobrar por direitos de transmissão não deverá ficar restrita às competições organizadas pela CBF e poderá chegar aos campeonatos estaduais.

— No caso dos estaduais, cada federação vai definir os seus critérios — revela Novelletto.

Fonte e foto: Gaúcha ZH


35 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções