Vereador de Porto Alegre é preso por suspeita de extorquir assessores


O vereador de Porto Alegre André Carús (MDB) foi preso pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira (1º). O parlamentar é suspeito de obrigar assessores a tirarem empréstimos consignados e entregar o dinheiro a ele.

A Polícia Civil cumpriu outras duas ordens de prisão temporária e 10 de busca e apreensão, inclusive na casa e no gabinete de Carús na Câmara Municipal. As buscas também atingiram uma instituição financeira — que ainda não teve o nome divulgado — e os departamentos de Água e Esgoto (Dmae) e de Habitação (Demhab) da prefeitura, onde trabalham cargos comissionados indicados pelo vereador.

Segundo a polícia, a investigação teve início após denúncias de que servidores lotados no gabinete de Carús estariam sendo obrigados a contrair empréstimos com o intuito de saldar "dívidas pessoais alegadamente contraídas pelo agente político". Há casos em que os valores tomados por servidores superaram os R$ 300 mil.

Por volta das 7h, duas viaturas chegaram ao apartamento do parlamentar, no bairro Santo Antônio. O vereador deixou o local pouco antes das 8h30min. As outras duas pessoas presas, que ainda não tiveram nomes divulgados, são servidores municipais que não trabalham no gabinete do parlamentar, mas, segundo a polícia, têm "relação estreita" com ele.

Carús, de 37 anos, é vereador da Capital em primeiro mandato — foi eleito no pleito de 2016, com cerca de 6,8 mil votos. Antes, foi diretor-geral do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) por três anos. No final de agosto de 2019, foi escolhido para presidir o MDB de Porto Alegre até 2021.

GaúchaZH tenta contato com a defesa de Carús para contraponto. À reportagem da RBS TV, o vereador negou as acusações.

Fonte: Gáucha ZH


0 visualização

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções