História de amor de jornalista Santanense é destaque na ULBRA


Segundo o dicionário, relacionamento pode ser definido como o ato de relacionar, de estabelecer uma ligação, uma conexão com algo ou alguém. A palavra também é usada para dar significado à ligação afetiva, profissional ou de amizade entre pessoas que se unem com os mesmos objetivos e interesses. Na Ulbra, um casal de acadêmicos levou isso à risca e decidiu dividir não só o coração, mas a carreira com seu par.

No último final de semana, nos dias 2 e 3 de agosto, uma das turmas de formandos, teve o casal Raí Quadros, natural de Santana do Livramento e Michele Mueller, de Campo Bom do curso de Jornalismo. Os dois se conheceram em 2016, no próprio campus da Ulbra Canoas.

Raí e Michelle construíram a sua história durante a graduação em Jornalismo. Em comum, o amor pela profissão fez com que permanecessem unidos até no ambiente acadêmico. E é contando a história de cada casal que vamos entender como é dividir os estudos em meio a uma relação amorosa.

Raí e Michele: uma história que começou a ser escrita na Ulbra

A história de Raí e Michele começa no primeiro semestre de 2016, quando ambos se esbarraram na disciplina de Fotografia, Imagem e Cognição. A primeira afinidade encontrada foi o trabalho em comum: televisão. Apesar disso, o relacionamento demorou a acontecer. Foram dois anos até ficarem juntos. "Nessa época, éramos colegas na Ulbra TV. Já tínhamos feito alguns trabalhos juntos. Então, sempre tivemos um bom relacionamento", contou Michele.

A partir do contato frequente, os dois colegas foram descobrindo os prazeres do convívio no espaço acadêmico. Segundo Raí, a Universidade foi "um berço" para o casal. "A Ulbra foi fundamental na nossa vida profissional e pessoal. A gente sempre diz que se transformou para melhor aqui dentro, intensificamos o que temos e vivemos coisas incríveis. Fizemos muitas coisas juntos. E conviver dessa forma, como casal, em vários ambientes, é desafiador. Saber lidar com a presença do outro e separar as coisas em cada local também", explicou o jovem.

Os desafios de um casal que se constituiu na Universidade

Entre aulas, trabalhos e provas, Raí e Michelle tiveram que arranjar um pouco de tempo para a relação. A solução foi usar a organização e os intervalos das aulas. "Foi algo muito tranquilo, até porque sempre nos ajudamos. Fizemos o TCC em momentos diferentes, então isso facilitou muito o processo. Enquanto eu escrevia, ele me trazia cerveja, e vice-versa", contou Michele aos risos, lembrando dos últimos meses de curso.

A hora de escrever o temido Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) foi justamente o momento em que o casal percebeu que o apoio entre eles seria imprescindível para a conclusão desta etapa. "Ela sempre fala que fui fundamental para ela nessa fase. Só me dei conta do que isso representava quando fui fazer o meu TCC, no semestre seguinte. Sem o apoio dela não seria a mesma coisa", afirmou Raí, que ainda ressaltou a importância da Ulbra na história de ambos. "Foi na Universidade que nos conhecemos, começamos a nossa história e começamos a crescer e amadurecer juntos. A partir disso, aprendemos a lidar com a presença do outro e separar as coisas em cada local também".

Créditos: Leonardo Magnus - Jornalista Mtb 19305/RS

Emily Ebert - Estagiária de Jornalismo da Ulbra Canoas


311 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções