• G1 RS

Mulher baleada em motel de Porto Alegre diz que tiro foi intencional


A mulher que foi baleada em um motel de Porto Alegre, na madrugada de sábado (6), prestou um novo depoimento no domingo (8), no qual relatou que o disparo que levou foi intencional. Primeiramente, a vítima havia dito para a polícia que o tiro tinha sido acidental, pois, segundo o relato, ela estava com medo do companheiro.

Conforme o delegado Rodrigo Reis, o suspeito e a mulher tinham um relacionamento há algum tempo. Eles haviam viajado do Litoral Norte para uma festa na Capital.

Depois que a mulher foi ferida, o homem a levou até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Como o estado dela era grave, foi transferida para o Hospital Cristo Redentor.

Inicialmente, o casal havia dito que tinha sido assaltado. Depois, a mulher afirmou que os tiros foram acidentais. O homem foi então preso em flagrante por lesão corporal com dolo eventual, porte ilegal de arma de fogo e receptação de arma furtada.

"Depois de o homem ter sido preso, a vítima conversou com o irmão que a convenceu a falar a verdade para a polícia. Ela estava com medo. Ela contou que dentro do carro, antes de chegar ao motel, ele deu um tiro para cima e outro em direção a ela, mas que não pegou nela. Ele queria assustá-la".

A mulher ainda relatou que, ao chegar ao motel, o homem atirou novamente. O tiro entrou pela virilha dela e saiu pela nádega. Ela continua internada no hospital e o seu estado de saúde é estável.

Segundo o delegado, o novo depoimento da vítima confere com o que foi analisado no local do crime. A polícia encontrou no motel dois estojos deflagrados.

"Eles tinham ido primeiro em uma festa e já estavam brigando. Foram em uma segunda festa, e ele continuava ameaçando ela. Ele obrigou a mulher a entrar em um posto para comprar bebida para ele. Disse que não era para ela dizer nada, se não ele ia matar ela e todo mundo", conta o delegado.

O homem continua preso. Conforme Reis, o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). O homem ainda será autuado por feminicídio tentando, além de porte ilegal de arma de fogo e receptação de arma furtada.

O delegado acrescentou que não havia nenhum registro feito pela mulher contra o companheiro. Ele tem um antecedente criminal por lesão corporal, cometida em 2008.

Fonte: G1 RS

Foto: Reprodução / RBS Tv


0 visualização

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções