• G1/RS

Preso por suspeita de tortura o homem acusado por morte de vice-presidente do Cremers em 2008, em Po


A Polícia Civil prendeu, na manhã desta sexta-feira (21), o homem suspeito de tortura e acusado de matar o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) Marco Antônio Becker, de 60 anos, em dezembro de 2008, em Porto Alegre.

De acordo com a delegada Vanessa Pitrez, o traficante Anderson Roberto Farias Bones foi preso em casa, na Vila João Pessoa, por sequestro e tortura de duas pessoas, no dia 06 de junho, no Campo da Tuca, na Zona Leste da Capital.

Ele estava em prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, há dois meses. Para a polícia, o traficante é considerado gerente do principal ponto de drogas da Capital.

De acordo com a polícia, uma das vítimas foi atingida com uma facada do tórax e sofreu um tiro de raspão nas pernas. A tortura e as agressões teriam sido motivadas por uma desconfiança do traficante. Segundo a investigação, as vítimas estariam vendendo drogas sem autorização do grupo criminoso em um estabelecimento comercial próximo ao morro.

Ele e outras 10 pessoas são investigados na Operação Pregador. A polícia cumpre três mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva.

Caso Becker

De acordo com a denúncia do Ministério Público, o médico oftalmologista foi atacado por dois homens em uma moto, no dia 4 de dezembro de 2008. Becker foi atingido pelos tiros enquanto estava dentro de seu carro, na Rua Ramiro Barcelos, bairro Floresta, na Capital.

Denunciados:

  • O MP denunciou oito pessoas pelo crime;

  • O ex-médico andrologista Bayard Ollé Fischer Santos foi apontado como mandante do assassinato do vice-presidente do Cremers;

  • O traficante Juraci Oliveira da Silva, o “Jura”, preso em 2010, no Paraguai, teria agenciado o crime;

  • Moisés Gugel, ex-assistente do médico, teria ligação com “Jura”;

  • Michael Noroaldo Garcia Camara, o “Tocha” e Anderson Roberto Farias Bones, o “Kiro”, estavam na moto e executaram a vítima, segundo a denúncia.

  • Paulo Ricardo Machado, o “Ferramenta” e Paulo Roberto da Silva Caldeira, teriam auxiliado no planejamento da execução de Becker;

  • Fabiano Silva do Nascimento, o “Fio”, morto em uma emboscada após a conclusão do inquérito, teria ligações com o grupo do traficante “Jura”.

Também foram denunciados pelo MP dois homens e uma mulher por falso testemunho e uma outra mulher por falsidade ideológica.

Fonte: G1 RS


200 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções