© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções

Homem que se passava por Policial Civil é preso em Canoas


Policiais Civis da DRACO/Canoas, coordenados pelo delegado Thiago Lacerda, receberam denúncias de que um homem policial civil, em tese, estaria abordando pessoas durante a noite e agindo de forma inapropriada em comércios da região metropolitana.

Os policiais civis de Canoas realizaram investigação, colheram indícios e identificaram o homem suspeito. Os policiais civis verificaram que o homem não era policial civil e não tinha nenhuma ligação com forças de segurança.

Os policiais civis realizaram investida policial contra o homem de 27 anos de idade que estaria se passando por policial civil na cidade de Canoas possivelmente região metropolitana.

O investigado foi flagrado por câmeras de vigilância em Março de 2019, realizando diversas abordagens policiais se passando por policial civil além de portar uma provável arma de fogo que foi identificado como simulacro de arma de fogo de forma ostensiva gerando pânico na comunidade.

Testemunhas foram ouvidas e mencionaram que o mesmo realizava abordagens com busca pessoal nas vítimas e acreditavam que o investigado portava arma de fogo.

No dia 28/12/2018 o suspeito foi abordado em uma ocasião pela Brigada Militar e se passou por agente da polícia sendo conduzido naquela ocasião para o registro de ocorrência.

A ação deflagrada visou apreender arma de fogo e o simulacro usado além de avançar nas investigações a fim de identificar se outros crimes mais graves foram praticados pelo suspeito que se passava por policial civil.

Um simulacro de pistola foi apreendido e o investigado conduzido para oitiva, as investigações prosseguem podendo resultar no indiciamento por crime de usurpação de função pública.

O Delegado Thiago Lacerda afirma que o homem será autuado e as investigações prosseguirão.

O Diretor Mario Souza da 2DPRM, esclarece que a população pode pedir a identificação do policial quando tiverem dúvidas”. E que “sobre o suspeito autuado as ações serão investigadas e as possíveis vítimas serão ouvidas. Por fim, ressalta que “a comunidade pode denunciar e passar informações pelo fone (51) 3462 6720 ou pelo whats (51) 9 8608 9984.”

Foto: Polícia Civil / Divulgação


28 visualizações