© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções

Operação retira 49 presos de delegacias e viaturas em Porto Alegre


Pelo menos 49 presos foram tirados de delegacias e viaturas de Porto Alegre durante a Operação Limpa Cela, promovida pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) neste domingo. O superintendente da Susepe, Mário Santa Maria Júnior, acompanhou os trabalhos. Conforme ele, neste momento não há presos em viaturas em Porto Alegre. A operação iniciou no final da tarde, por volta das 18h. O principal objetivo era esvaziar a 2ª DPPA, a Área Judiciária da Polícia Civil, localizada no Palácio da Polícia. De acordo com o superintendente, de um fato negativo é preciso observar algo positivo. O acúmulo de presos em delegacias e viaturas se deve, segundo ele, à efetividade das polícias gaúchas. "São mais de 100 presos por dia, somente em Porto Alegre e na Região Metropolitana, isto sem contar o interior do Estado", afirmou.

A 3ª DPPA, localizada no bairro Navegantes, também foi esvaziada. Foram dezenas de agentes da Susepe envolvidos nos trabalhos e pelo menos 16 veículos oficiais, responsáveis pela escolta dos presos. Desde que assumiu, dia 2 de janeiro, o superintendente criou um setor específico dentro do departamento de segurança e execução penal, para monitorar diariamente a liberação de vagas no sistema prisional e remanejar os apenados de delegacias ou viaturas. "Conseguimos essas vagas e foi possível fazer o remanejamento para esvaziarmos celas de delegacias e liberarmos viaturas da Brigada Militar", explicou.

De acordo com o superintendente, o sistema prisional gaúcho está superlotado. "Então trabalhamos de que maneira? Baseados na progressão de regime, nos casos de prisão domiciliar, entre outros. Vão abrindo as vagas nas casas prisionais e o departamento da Susepe vai

monitorando isso, para que seja possível encaminhar os presos para os locais adequados, onde forma abertas as vagas", detalhou. A Operação Limpa Cela foi realizada por ocasião de uma grande transferência de apenados da Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central) para a Penitenciária Estadual de Charqueadas (PEC).

O superintendente afirmou que presos que estavam na Penitenciária Estadual de Porto Alegre foram remanejados para o Presídio Central, outros foram para a PEC e aqueles que estavam em delegacias e viaturas foram para o Central. "É importante contarmos com a parceria que nós temos, com a administração da BM e com o próprio Poder Judiciário, que precisa autorizar as transferências. É um jogo de xadrez diário", definiu. Conforme ele, toda prisão é cadastrada com detalhes pela Susepe.

"Nós somos comunicados sobre cada pessoa que vai presa e então começamos, a partir disso, a observar os vários quesitos necessários para encaminhar a pessoa para o sistema prisional. São vários fatores", disse. O setor que realiza o monitoramento minuto a minuto das vagas no sistema prisional gaúcho, conforme o superintendente, atua na Susepe 24h por dia "para poder verificar isto de perto".

Fonte: Correio do Povo

Foto: Susepe / Divulgação


34 visualizações