Contrato no fim, negociação e canetaço: O dia do fico do SAMU que a comunidade não sabia


Os bastidores da saúde em Santana do Livramento, é algo agitado e cada decisão trás consequências positivas ou negativas a comunidade. O protagonista dessa semana, está sendo o SAMU.

Como todos sabem, as dificuldades do SAMU começam muito longe de Santana do Livramento, pois na central em Porto Alegre, eles atendem varias cidades em conjunto com a nossa, sendo que ao ocorrer qualquer tipo de atendimento ao mesmo tempo, a linha fica congestionada, levando a vítima de atendimentos clínicos e acidentes de trânsito, como exemplo, ficarem esperando mais tempo, seja em Livramento ou qualquer outra cidade, que funcione no mesmo sistema.

Mesmo com deficiências como está, ou por ter apenas uma ambulância, sendo que a reserva está estragada, os socorristas se esforçam ao máximo para levar o melhor atendimento possível para a comunidade. E foi essa importância, que levou leitores do Sentinela 24H, trazer a nós uma situação que estava os deixando preocupados, pois o contrato da Prefeitura com o SAMU terminou, e a partir desta quarta-feira, não haveria mais atendimentos. Algo que seria feito com uma ambulância da Secretaria de Saúde ou mesmo do Corpo de Bombeiros, que hoje está como apoio do SAMU na zona urbana e para atendimento e locais mais remotos, algo que também é feito pelo SAMU.

Atrás de informações sobre o fim do SAMU em Livramento, foi em entrevista com o Secretário de Saúde Enrique Civeira e o Prefeito Solimar Charopen que descobrimos o trabalho de bastidores para a manutenção do serviço na cidade.

Segundo o Secretário de Saúde, o Prefeito é o interventor, quem tem autonomia, "estamos em uma longa negociação e o Estado não repassa verbas que ajudem o SAMU, sobrevivendo com dinheiro do município e emendas que parte delas são repassadas para o básico. Os administradores só trabalham com dinheiro. Se não tem, a situação fica complicada". destacou Civeira.

Segundo o Prefeito Ico, foi determinado por ele que não pare nenhum dos serviços, incluindo do SAMU.

No final da tarde desta terça-feira chegou a informação que não há internações pelo SUS, apenas na UTI, em casos de urgência e emergência. Ao final deste empasse que há com o funcionamento do SAMU, a situação com os médicos e demais funcionários da Santa Casa seguirá sendo foco da atenção do Secretário de Saúde, que acompanha o caso, e tenta junto com o Prefeito e os administradores, achar uma solução para um problema quase cinquentenário, a crise financeira do único hospital SUS de Livramento.

Foto: Ralph Quevedo | Sentinela 24H


0 visualização

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções