Tardelli recebe a 9 do Grêmio e diz que é um sonho trabalhar com Renato: 'Namoro antigo'


Reforço do Grêmio para a temporada, Diego Tardelli teve uma quarta-feira agitada no novo clube. O atacante foi recepcionado pela torcida com festa no aeroporto, fez o primeiro treino com os novos companheiros e foi apresentado oficialmente pelo clube. Após receber a camisa 9 e as boas-vindas dos dirigentes, Tardelli disse que realiza um sonho ao trabalhar com o técnico Renato Gaúcho.

O treinador, que também é um admirador confesso do atacante, teve papel importante na contratação. Assim como Léo Moura, amigo de Tardelli e que avisou o técnico sobre o interesse do atacante em deixar o futebol chinês. Após vários contatos telefônicos e alguns dias de negociações, Tardelli assinou com o clube gaúcho por três temporadas.

– Quero agradecer ao presidente pelo esforço em me trazer ao Grêmio. Agradecer a todos, principalmente ao Renato, uma peça fundamental na minha vinda para cá. O Léo Moura fez um contato comigo, perguntou qual era minha intenção, já que eu estava livre no Brasil. Na mesma hora passou o telefone pro Renato e batemos um papo. É um namoro antigo, desde 2010, que tenho contato com ele. Eu também tinha o sonho de ser treinador por ele. Ainda mais em um time como o Grêmio, como vem jogando nos últimos anos. Graças a Deus deu certo – afirmou.

O atacante retorna ao Brasil depois de quatro anos no Shandong Luneng, da China, clube pelo qual marcou 51 gols em 98 jogos. Aos 33 anos, o atacante se vê no auge da carreira e acredita que fez a escolha certa iniciar um novo ciclo na carreira, com novas conquistas.

– Estou feliz por este momento. Espero corresponder para a torcida, para o presidente, para o clube, todo esse esforço que eles fizeram para me trazer. Estou feliz pela oportunidade de voltar ao Brasil e começar um novo ciclo no Grêmio. Vim para a equipe certa. É um time montado, que briga por títulos todos os anos. Como sou um cara vencedor, acho que fiz a escolha certa – elogiou.

O atacante revelou que ainda precisa de uns dias para readquirir o condicionamento físico, já que não atua desde novembro de 2018. Sobre sua posição favorita, Tardelli contou que pode atuar em todas as posições do ataque, mas que está à disposição do treinador. O técnico que se vire para achar um lugar para ele junto com Luan, Everton e Felipe Vizeu.

– Depende do Renato. Ele já conhece minha característica, vocês principalmente. Tenho a facilidade de jogar pelos lados. Na China, eu vinha fazendo uma função diferente, era praticamente um meia, pela minha mobilidade, movimentação. Agora é com o Renato. Vou brigar, respeitando todos os jogadores. Depende dele. Quero me preparar, focar bem. Quero estar focado e preparado para ter uma temporada muito boa aqui – acrescentou.

O Grêmio será o 10º clube de Tardelli, revelado pelo São Paulo. Ele também defendeu o Bétis, São Caetano, PSV, Flamengo, Atlético-MG, Anzhi (Rússia), Al-Gharafa (Catar) e Shandong Luneng, seu clube mais recente. Acumula duas Libertadores (2005 e 2013), Mundial de Clubes (2005), Recopa (2014), Brasileirão (2007) e Copa do Brasil (2014) como principais conquistas. No Galo, clube que tentava sua contratação neste início de 2019, marcou 110 gols em 219 partidas e é ídolo da torcida.

Confira mais trechos da entrevista

Condicionamento físico

"A parte física vai demorar alguns dias ainda. Estou parado há dois meses. O último jogo foi dia 30 de novembro na China. Nas férias, a gente dá aquela corridinha, mas não é aquele treino intensivo como nos clubes. Amanhã terei uma conversa com o preparador físico, para estipular um prazo para voltar. Terá um tempinho, duas, três semanas, não sei. Mas o meu porte físico ajuda, magrinho, mas fácil de readquirir a forma física".

Participação de Renato na negociação

"Mais o interesse dele, a persistência, ligando, mandando mensagem toda hora: 'E aí, resolveu? Vai vir'. Aquele jeito dele. Foi boa a conversa. De todos os clubes que tiveram interesse, que teve sondagens, o Grêmio, principalmente o Renato, foi o que mais me quis. Fico feliz por este interesse dele. Não veio de ninguém, mas do Renato. Isso é o mais bacana. E pela história dele aqui, a trajetória no futebol, tenho certeza que a gente vai dar muito certo nestes três anos".

Rivalidade Gre-Nal

"Particularmente joguei grandes clássicos no Brasil e na Europa e sei o quanto é importante essa rivalidade Gre-Nal. Nunca acompanhei de perto, mas tenho amigos que acompanham e sei o fanatismo que é. É por isso que quero me preparar o mais rápido possível para quem sabe disputar meu primeiro Gre-Nal. Esses jogos que me motivam, que aparecem os grandes jogadores. Estou aqui para isso. Se tiver condições, com maior prazer, para estrear em meu primeiro Gre-Nal e com vitória, se Deus quiser".

Auge aos 33 anos

"São os desafios, a vontade de vencer, como sempre foi, pelos clubes que passei. Pelo meu currículo, meus títulos. A vontade de vencer que eu tenho. Isso que me motiva ao voltar ao Brasil. Ainda me considero no auge da minha carreira com 33 anos. Sei que muita gente entende que 33, 34 anos não vai correr tanto, não é a mesma coisa. Pelo contrário. Me sinto um garoto de 19, 18 anos, como no São Paulo. Estou bem focado. Quero deixar meu nome aqui na história do Grêmio, fazer história, ganhar títulos, que é o mais importante. Vim para vencer e ganhar grandes coisas".

Amadurecimento

"Minha mudança foi o amadurecimento dentro de campo, a leitura tática, cortar caminho, coisa que não fazia quando tinha 18, 19 anos. Hoje me sinto mais completo dentro e fora de campo. Mas cuidando mais. Se tivesse esse pensamento lá atrás, estaria em um clube grande na Europa, mas me sinto no melhor momento. Tenho que me cuidar do jeito que venho me cuidando e fazer o que sei em campo. Jogar bola, jogar com alegria. Meu amadurecimento foi fundamental".

Comparação do Grêmio com o Atlético-MG

"O elenco é parecido. As características de cada jogador lembram pouquinho o Atlético-MG, quando a gente foi campeão da Libertadores, com aquele quarto. Aqui é parecido, é um time que ataca muito, que tem qualidade do meio para frente. É um dos elencos que pode brigar por título, um dos melhores elencos do Brasil. E vai brigar por título novamente".

Camisa 9

"A 9 vem me dando sorte há um bom tempo, desde a época do Atlético-MG, na China. O Jael fez essa para mim no vestiário, com a saída dele, e espero representar".

Período na China

"Na China o futebol cresce a cada ano. No meu primeiro ano, em 2015, já se via a evolução, dos próprios atletas chineses, e com a chegada de grandes jogadores da Europa e do Brasil fortaleceu ainda mais. Quem está fora acha que é fácil, mas quando chega lá é totalmente diferente. Já está alcançando o nível europeu e brasileiro. A preparação está muito forte".

Fonte: Globoesporte.com


0 visualização

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções