DOM PEDRITO |Excesso de chuvas em janeiro ainda prejudica produção agropecuária local


O Informativo Conjuntural – período 4 a 11 de fevereiro -, lançado pelo escritório municipal da Emater, aponta que as temperaturas no município oscilaram entre a máxima de 37º C e a mínima de 22ºC no decorrer do período.

Os dados abaixo informam que a produção agropecuária do município ainda sente o excesso de chuvas registradas no mês de janeiro.

Pecuária

Bovinos de corte: o estado corporal do rebanho é bom, assim como o estado sanitário. Aqueles produtores que praticam um correto ajuste de lotação estão com o rebanho em bom estado nutricional. O mercado continua devagar, mas começa a ter alguma reação de suba do gado gordo, principalmente se o negócio for com prazo.

Bovinos de leite: o rebanho leiteiro do município tem, neste momento, um bom escore corporal. A oferta de forrageira é satisfatória e com qualidade. O preço pago ao produtor tem se mantido estável. A condição sanitária do rebanho é boa.

Ovinos: a ovinocultura do município, por ser uma atividade que se dá bem com tempos secos, sofreu bastante pelos dias continuados de chuva. Os animais terão perdas na quantidade de lã produzida e também a qualidade ficou comprometida. O aumento da infestação de vermes gastrointestinais e de doenças de casco que causam perda de peso em animais adultos e cordeiros. Neste momento os produtores organizam-se para a estação de monta padronizando os rebanhos e adquirindo ou adequando os carneiros.

Pastagens: tanto as pastagens nativas como as artificiais produzem um bom volume de forragem e com boa qualidade, em algumas localidades já necessita de uma reposição da umidade do solo. Os produtores já planejam a implantação das espécies de inverno.

Apicultura: as condições climáticas adversas, com altos volumes de chuvas têm afetado a produção. A diminuição da entrada de néctar devido à lavagem e queda de flores faz com que a produção fosse interrompida. Com a diminuição das precipitações já houve uma recuperação em termos de produção.

Agricultura

Arroz: após condições climáticas adversas que causaram sérios prejuízos ao arroz, na seqüência com a diminuição das precipitações e outros fatores benéficos a cultura, houve uma recuperação. Neste momento quase toda a lavoura está no período reprodutivo, as mais adiantadas com previsão de colheita para o final do mês.

Soja: com as condições climáticas mais adequadas a cultura, houve uma recuperação em termos visuais. Quase a totalidade da lavoura está no período reprodutivo, seja na floração, emissão de vagem ou enchimento do grão. Os produtores redobraram a atenção sobre o aspecto fitossanitário.

Milho: trata-se de uma cultura de subsistência, poucas tem ânimo comercial, a área cultivada é pequena.

Olericultura: os produtores refizeram as lavouras atingidas pela seqüência de chuvas pesadas que ocorreram no mês de janeiro. A oferta de produtos ainda é pequena.

Fruticultura: na fruticultura também houve perdas. Na produção de uvas, haverá uma diminuição dos sólidos solúveis. As culturas do melão e morango foram as que tiveram as maiores perdas.

Cotações agropecuárias


13 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções