BM apreende maconha, cocaína e armas em Rio Grande


Uma ação da Brigada Militar (BM) de Rio Grande apreendeu 442 tijolos de maconha, sete quilos de cocaína, armas e grande quantidade de munições na madrugada de segunda-feira. Três homens – sendo duas mulheres – foram presos e dois menores apreendidos na ofensiva que ocorreu em dois bairros da cidade, no Parque Marinha e Quinta. Essa é a maior apreensão de maconha feita pela BM nos últimos 10 anos, conforme o comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Leonardo Nunes.

Segundo ele, provavelmente, o destino do entorpecente seria o Uruguai. “Acredito que o Rio Grande, pela proximidade com a fronteira, se torne um entreposto do tráfico de drogas. Tanto a maconha, quanto a cocaína, não é produzida aqui. Não temos esse histórico. Provavelmente ela deve vir do Paraguai e é trocada por arma, munição ou até dinheiro”, destacou o comandante.

Tudo começou quando a guarnição do Pelotão de Operações Especiais (POE) estava em patrulhamento de rotina e desconfiou da atitude de dois ocupantes de automóvel Chevrolet Cobalt. Ao perceber a aproximação da viatura, o condutor do veículo fugiu em alta velocidade por diversas ruas, até cair em uma valeta nas proximidades do bairro Santa Tereza. O carro, que havia sido roubado/furtado em São Leopoldo, no Vale do Sinos, estava com as placas trocadas. No interior dele havia dois tijolos de maconha.

A dupla, que disse que estava “fazendo movimentação de drogas” para uma quadrilha, informou aos policiais que o entorpecente seria oriundo de um depósito de drogas – dividido em dois endereços, nos bairros Parque Marinha e Quinta. Na rua Tapajós, o POE encontrou tijolos de maconha, totalizando 545 quilos, e sete quilos de cocaína. No pátio também foi apreendida uma motocicleta Honda/CB Twister 250, que estava ocorrência de roubo. Já na Travessa 22 Abel Cravo, carregadores de pistola, uma carabina, dois revólveres, mais de 650 munições de diversos calibres – entre eles, de .762, .44, .38, .12 e .9.

De acordo com o tenente-coronel, a apreensão resulta em uma grande perda para os criminosos. “A ação foi extremamente positiva porque evitou que o entorpecente fosse distribuído. A leitura que fazemos é que o destino seja mesmo o Uruguai. Nossos policiais foram perspicazes na identificação e abordagem dos suspeitos”, afirma. Ele reitera o trabalho sério realizado na região. “Focamos muito na abordagem, sem ela, mesmo tendo a antipatia de parte da população, não seria possível identificar indivíduos. Está comprovado que dá certo.”

Fonte: Correio do Povo


22 visualizações0 comentário

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções