Preso em São Gabriel casal que causou prejuízo de R$ 3 milhões no golpe do bilhete


A Polícia Civil de Passo Fundo, que investiga desde junho do ano passado grupos que aplicam o golpe do bilhete, prendeu na manhã desta segunda-feira (14) um casal em São Gabriel, na Fronteira Oeste, que causou prejuízos de mais de R$ 3 milhões a dezenas de vítimas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Os dois foram presos de forma preventiva e tiveram três carros, uma lancha e dinheiro apreendidos. A ação faz parte da terceira fase da Operação Pólis que investiga cerca de 50 pequenos grupos dentro de uma rede de estelionatários.

O delegado Diogo Ferreira, da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Passo Fundo, diz que estas foram as primeiras prisões realizadas pela operação que apurou inicialmente o golpe do bilhete e agora investiga lavagem de dinheiro.

Em relação a outros casos, a polícia já obteve o bloqueio de R$ 50 milhões com a apreensão de cerca de 120 veículos e de 70 imóveis de integrantes dos demais grupos investigados. Os bens foram apreendidos após a verificação de documentos localizados com os suspeitos.

Ferreira diz que o objetivo, no final do processo judicial, é tentar leiloar os carros e imóveis dos condenados para ressarcir vítimas, bem como para reverter em materiais para a própria Polícia Civil. Entre os investigados, há estelionatários e laranjas.

Terceira fase da operação

Mais de 20 agentes cumpriram nesta segunda-feira dois mandados de prisão preventiva, sete de buscas e seis de bloqueio judicial de bens e imóveis. O casal preso, que não teve o nome divulgado pela polícia, movimentou em contas bancárias o valor aproximado de R$ 1 milhão. Apesar disso, se declarava isento no Imposto de Renda junto à Receita Federal.

— Os dois seguiam aplicando golpes até os dias atuais, mesmo sendo investigados — diz Ferreira.

Casal preso em São Gabriel pelo golpe do bilhete teve uma lancha apreendida judicilamentePolícia Civil

Ao todo, o casal teve mais de R$ 2,3 milhões apreendidos judicialmente: cinco veículos entre carros e lancha avaliados em R$ 300 mil e um imóvel de luxo avaliado em R$ 2 milhões. O dinheiro localizado na residência do casal ainda não foi contabilizado.

Outros grupos de estelionatários em várias regiões do Estado seguem sendo investigados.

Fonte: Gaúcha ZH


65 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções