Alunos da UFN realizam ato em repúdio a racismo em Santa Maria


Após mais um caso de racismo registrado dentro de uma universidade em Santa Maria, nesta segunda-feira (29), um protesto em repúdio ao racismo foi realizado na Universidade Franciscana (UFN). Cerca de 200 pessoas, entre alunos de diferentes instituições de Ensino Superior, servidores e outras pessoas solidárias à causa, se reuniram no final da tarde. Durante o ato, os alunos gritaram o nome da vereadora e ativista do Movimento Negro, Marielle Franco, assassinada a tiros no Rio de Janeiro, em março deste ano.

A atividade foi realizada no dia seguinte à surpresa de alunos ao chegarem a uma sala de aula e encontrarem, no quadro, uma frase de cunho racista escrita. O caso aconteceu na noite de segunda-feira, na sala 606 do prédio 14, que abriga os cursos da Comunicação Social. Conforme um post feito no Facebook por um aluno da instituição, ele e um colega entraram na sala para pegar um celular que tinham deixado carregando. Ao chegarem ao local, depararam com a frase: "Dalhe! Capitão. Preto no tronco!".

Logo após o ato, foram encontradas mais manifestações racistas nos cartazes espalhados nos elevadores da universidade que tinham as frases "Marielle presente" e "Racistas não passarão". Os foram rabiscados a caneta com a escrita: "Chibata neles, capitão".

Este é o sexto ataque de cunho racista registrado na cidade desde 2017 (leia mais detalhes abaixo). Os outros cinco ocorreram na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e são investigados pela Polícia Federal.

OUTRAS DENÚNCIAS

  • Em 17 agosto de 2017, uma suástica foi desenhada em uma das paredes do Diretório Livre do Direito e virou alvo de inquérito policial

  • Em setembro de 2017, a sala do Diretório Livre do Direito (DLD) foi alvo de uma pichação de cunho racista. Na parede da sala, que fica no prédio da antiga reitoria (na Rua Floriano Peixoto, no Centro), foi escrita a frase "Fulano e Fulana*, o lugar de vocês é no tronco, fora negros, negrada fora"

  • Em 21 de novembro de 2017, o alvo foi o Diretório Acadêmico das Ciências Sociais. Foram escritas frases racistas "Brancos no Topo", "Fora Macacos", acompanhadas de duas suásticas e dos nomes de duas alunas negras e um aluno negro do curso de Licenciatura em Ciências Sociais

  • Em 10 de outubro de 2018, dois jovens, de 19 e 23 anos, foram ameaçados por um homemque estava recolhendo lixo, perto de um banco dentro do campus. O homem também teria chamado os estudantes de negros sujos e macacos

  • Em 26 de outubro de 2018, um banheiro do Colégio Politécnico foi alvo de uma pichação com frases na parte interior da tampa de um vaso sanitário. Além da frase "esses pretos fedidos vão morrer", uma suástica foi desenhada e o número de um dos candidatos à Presidência.

A Polícia Federal ainda não concluiu os inquéritos que apuram os crimes na UFSM.

Fotos: Mariana Olhaberriet, Laboratório de Fotografia e Memória - UFN


27 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções