Grêmio 'encorpa' em momento decisivo e repete estratégia quase infalível de títulos


A vitória na semifinal da Libertadores em pleno Monumental de Nuñez deu ao Grêmio uma nova injeção de confiança no momento mais decisivo da temporada. O 1 a 0 sobre o River Plate "encorpa" o time de Renato, usurpado de dois dos seus principais jogadores, e deu pinceladas de 2017 à campanha. Além disso, reafirma a postura de sair em vantagem no primeiro jogo dos mata-matas, seja onde for. Até o momento, isso só foi revertido em uma oportunidade.

A estratégia quase infalível tem dado certo desde 2016, na campanha do título na Copa do Brasil. Naquela competição, saiu em vantagem no primeiro jogo ao bater Palmeiras, na Arena (2 a 1); Cruzeiro, no Mineirão (2 a 0); e Atlético-MG, outra vez no Mineirão (3 a 1). Na Libertadores de 2017, esta lógica se manteve ao vencer Godoy Cruz, na Argentina (2 a 1), Barcelona-EQU, em Guayaquil (3 a 0), e Lanús, na Arena (1 a 0).

- As decisões preparam a equipe. Entramos num clima de decisão. Começa desde o vestiário até o início da partida. Isso ajuda no campo, o algo a mais. O cansaço não atrapalha, sabe que tem que correr mais, correr pelo companheiro. A nossa equipe sabe bem lidar com esse espírito de decisão - comentou Michel em entrevista exclusiva à RBS TV.

Vitória na ida, classificação na volta

  • 2016 - Copa do Brasil - Quartas de final - Grêmio 2 x 1 Palmeiras

  • 2016 - Copa do Brasil - Semifinal - Cruzeiro 0 x 2 Grêmio

  • 2016 - Copa do Brasil - Final - Atlético-MG 1 x 3 Grêmio

  • 2017 - Copa do Brasil - Oitavas de final - Grêmio 3 x 1 Fluminense

  • 2017 - Copa do Brasil - Quartas de final - Grêmio 4 x 0 Atlético-PR

  • 2017 - Libertadores - Oitavas de final - Godoy Cruz 0 x 1 Grêmio

  • 2017 - Libertadores - Semifinal - Barcelona-EQU 0 x 3 Grêmio

  • 2017 - Libertadores - Final - Grêmio 1 x 0 Lanús

  • 2018 - Copa do Brasil - Oitavas de final - Goiás 0 x 2 Grêmio

  • 2018 - Libertadores - Quartas de final - Atlético Tucumán 0 x 2 Grêmio

Na Copa do Brasil do ano passado, contra Fluminense e Atlético-PR, a estratégia novamente rendeu frutos. A única falha foi contra o Cruzeiro, na semifinal, quando o Grêmio fez 1 a 0 na Arena mas viu os mineiros repetirem o placar para chegar à final nos pênaltis, no Mineirão.

Em 2018, a situação se manteve com vantagem em todas as fases do Gauchão até o título. Na Recopa, houve empate no primeiro jogo. Na Libertadores, o Tricolor saiu atrás do Estudiantes nas oitavas, mas conseguiu bater o Atlético Tucumán na Argentina, assim como o River. Essa sequência reforça a confiança gremista.

Nos corredores do Monumental de Nuñez, a vitória sobre um gigante do continente rendeu comparações com o crescimento no ano passado após as quartas de final. Na oportunidade, houve dois duelos duros com o Botafogo, com empate no Rio e vitória suada por 1 a 0 em Porto Alegre. A partir de então, o Tricolor não passou mais riscos até o título.

"Ganhamos mais uma vez de um time argentino. O Grêmio encorpou no ano passado e arrancou para o título" (Duda Kroeff, vice de futebol)

Enquanto espera o segundo jogo da semifinal da Libertadores, o Grêmio se volta ao Brasileirão. No sábado, a equipe enfrenta o Sport, na Arena, às 16h30, mas com uma equipe reserva, provavelmente reforçada por Kannemann, suspenso na competição continental. A escalação deve ter: Paulo Victor; Madson, Paulo Miranda, Kannemann e Marcelo Oliveira (Juninho Capixaba); Kaio, Matheus Henrique, Thaciano, Jean Pyerre e Pepê; Thonny Anderson.

Fonte: Globoesporte.com


6 visualizações0 comentário