Grávida morre após ser torturada por companheiro em Rio Grande


Uma mulher morreu após ser agredida, estuprada e torturada por horas seguidas dentro de casa pelo companheiro, em Rio Grande, no sul do Estado. Após os ataques, Fabiane Desidere Lopes, que tinha 28 anos e estava grávida, foi levada pelo homem, de 26, em um táxi até o Hospital Santa Casa, na quarta-feira (17), e deixada em uma cadeira em frente ao pronto-atendimento.

Conforme a Polícia Civil, ela teve quase todo o cabelo arrancado e foi praticamente mutilada por intensos golpes de faca e outros tipos de violência como socos e pontapés. A vítima e o feto não resistiram aos ferimentos e morreram pouco depois dela ter sido deixada no local.

A polícia localizou o companheiro da mulher nesta quinta-feira (18). Em depoimento, ele admitiu ter cometido o crime e alegou que seria por ciúmes de uma possível traição.

O delegado Roberto Sahagoff, que reponde pela Delegacia da Mulher interinamente, afirma que o homem se contradiz. Em um momento do relato, ele disse que o motivo da agressão seria o fato de não concordar com a decisão tomada pela companheira sobre abortar.

No entanto, a Civil entende que os ferimentos efetuados nas partes íntimas da vítima denunciam que não haveria preocupação com um possível aborto por parte do agressor.

É um dos casos mais perversos que já vi

ROBERTO SAHAGOFF

Delegado

— O crime chama a atenção pela crueldade com que foi executado. Ela foi torturada por horas. A casa foi encontrada com sangue em praticamente todos os cômodos. É um dos casos mais perversos que já vi — afirma o delegado.

A Polícia Civil conseguiu um mandado de prisão para efetuar a detenção do homem nesta quinta-feira. Na mesma ação, os policiais prenderam dois irmãos dele, de 23 e 38 anos, que foram flagrados com drogas e arma de fogo. O crime é investigado como feminicídio. Os nomes não foram informados.

Fonte: Gáucha ZH


69 visualizações0 comentário