Pedritense que se passava por policial e médico tem prisão preventiva decretada no Piauí


O pedritense Carlos Alberto Faleiro da Silva, 49 anos, conhecido pelos apelidos de Gaúcho ou Beto, acabou tendo prisão preventiva decretada durante audiência de custódia realizada sábado (23), em Parnaíba, no Litoral do Piauí. Conforme o portal G1, ele é acusado de exercer ilegalmente as profissões de médico, massoterapeuta e jornalista. Ele também cumpria pena em regime aberto no estado de Mato Grosso por roubo a uma agência da Caixa Econômica Federal.

De acordo com o delegado Marcos Roberto, da Polícia Federal de Parnaíba, que preside o inquérito, o homem já tinha passagem pela polícia e teve a prisão preventiva decretada. Faleiro havia sido preso em flagrante na sexta-feira (22) por estelionato. “A prisão preventiva foi decretada no sábado após a audiência de custódia. Ele havia sido preso em flagrante e agora foi decretada a prisão preventiva. Ele já tinha passagem pela polícia por assalto a banco”, detalhou o delegado.

De acordo com as investigações, o suspeito afirmava ser um médico da Polícia Militar e ter a patente de coronel, e dizia ainda que sua esposa era juíza federal para se aproximar de pessoas de alto poder aquisitivo.

O delegado Carlos Alberto Ferreira, coordenador da Delegacia da Polícia Federal em Parnaíba, afirmou que ele deveria estar morando no estado. “Avisamos sobre a prisão dele para a Justiça do Mato Grosso. Acredito que vão expedir um mandato de recaptura, e podem pedir o recambiamento dele para lá”, disse. O suspeito foi encaminhado para a Penitenciária Mista de Parnaíba.

Em 2012, o assaltante procurado pela PF foi capturado em Lages, Santa Catarina. Ele participou de um assalto contra uma agência da Caixa em 2005. O homem foi condenado a 20 anos de prisão pelo crime, mas fugiu antes de começar a cumprir a pena. Ele também tem em sua ficha pelo menos outros 15 crimes de estelionato cometidos no Rio Grande do Sul.


33 visualizações0 comentário