Assassino de Naiara é transferido para presídio da região matropolitana


O assassino confesso da menina Naiara Soares Gomes, de sete anos, não está mais em Caxias do Sul. Na manhã desta quinta-feira, dia 22, agentes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) realizaram a transferência do homem para uma penitenciária da Região Metropolitana de Porto Alegre. A transferência do preso ocorre após uma noite marcada pela revolta da população, que foi até o Plantão da Polícia Civil pedir uma punição severa ao assassino confesso. Mais tarde, um grupo também protestou em frente ao Presídio Regional de Caxias do Sul e durante a madrugada a casa onde o homem morava foi alvo de uma tentativa de incêndio.

Ontem, após prestar um depoimento de aproximadamente quatro horas à Polícia Civil, o homem foi encaminhado ao Presídio Regional de Caxias do Sul, onde passou a noite em uma cela individual.

No depoimento, o homem narrou com riqueza de detalhes todas as partes do crime. Em outubro do ano passado, ele já havia estuprado uma menina que, à época, tinha oito anos. Neste caso, ele abandonou a vítima na estrada dos romeiros.

Segundo o Delegado Regional de Caxias do Sul, Paulo Roberto Rosa da Silva, o homem de 31 anos saiu na manhã do dia 9 em busca de uma vítima. Ele circulou por diversas ruas da cidade e encontrou Naiara entre 7h e 7h10min da manhã. Para atrair a menina, o assassino ofereceu uma mochila com um boneco e fez com que ela entrasse no veículo.

Quando Naiara embarcou no Fiat/Palio de cor branca, o homem imediatamente deu a ela uma bebida alcoólica com uma grande quantidade de açúcar e seguiu até a residência na rua Armindo Luiz Rech, no bairro Serrano. Ao chegar lá, a menina já estava embriagada e o homem a carregou nos ombros para o quarto, onde manteve relações sexuais com a vítima.

Conforme a polícia, o homem relatou que durante o ato a menina começou a sentir dores. Com medo de que ela fosse gritar, o homem teria apertado a Naiara contra a cama. A suspeita é de que ele tenha matado a menina nesse momento. Segundo o delegado, no entanto, somente a necropsia vai revelar a real causa da morte.

Depois de perceber que a menina estava morta, ele a enrolou em um cobertor e levou até a barragem do Faxinal, no interior de Ana Rech, onde primeiro abandonou a mochila e as botinhas usadas pela vítima. Na sequência, entrou cerca de 40 metros em um banhado e deixou o corpo de Naiara.

Rotina normal após o crime

O homem preso pela Polícia Civil trabalha em uma empresa da indústria metalúrgica em Caxias do Sul. Segundo as investigações, ele estava de atestado no dia em que cometeu o crime. Depois, no entanto, ele manteve a rotina normalmente, indo trabalhar das 17h às 2h da manhã.

Fonte: Portal Le Ouve


141 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo