Salva-vidas Santanense cria obras na areia e ganha atenção dos banhistas


Na noite deste domingo (14), o Sentinela conversou com o Policial Militar Junior Muniz que esta trabalhando na Operação Golfinho 2018 na praia do Cassino, mas faz parte da ROTAM do 2º RPMon de Santana do Livramento. Em pauta, as esculturas que fazem sucesso entre as crianças e até mesmo os adultos que ao ir a praia, tem como ponto de referência a guarita 08, onde ele, durante a ativação da mesma,prática seu hobby.

Homem Aranha, Minions, e uma série de outros personagens são vistos pelos veranistas, além de animais como golfinhos também são na beira mar do Cassino.

Segundo Muniz, tudo começou fazem dois anos, com miniaturas, "Eu sempre fui fã de modelismo e comecei a fazer para minha coleção, só que o pessoal foi se interessando e encomendando, daí comecei a fazer para venda, as esculturas comecei na verdade porque um colega apostou comigo que eu não conseguiria fazer um Fusca na areia, isso em 2011, quando comecei a atuar como salva vidas, e daí para frente virou um hobby, faço por que gosto muito da arte, de ver no rosto das pessoas a alegria em estarem frente a alguma coisa que traz boas lembranças, as crianças que ficam realizadas ao verem seus personagens favoritos ali quase que do tamanho delas e de uma maneira que parece Ser tão real. Acho que o que me motiva a fazer tudo isso tanto as miniaturas quanto as esculturas e ver a alegria das pessoas em poderem ter alguma coisa na estante que traga lembranças importantes, ou de ter uma foto com algo que elas achar incrível na praia... Ora não e todo dia que se vê três Minions esculpidos em areia, ou um Fusca, o relâmpago McQueen, o Homer Simpson...", explicou.

Sobre o trabalho na areia, sem perder o foco principal, que é salvar vidas, ele salienta, "enquanto ativamos a guarita, na primeira hora da manhã, aproximadamente 8h, meu colega fica de olho no primeiro momento, pois apesar de serem poucas ou quase nenhuma pessoa no mar, não podemos deixar desguarnecida a atenção na água e no seu entorno, então ele observa e eu fico criando, assim conseguimos trazer as pessoas, em especial as crianças, que se alegram na areia também, desta mesma forma, com uma recepção mais leve como está, estreita o relacionamento na hora de podermos pedir mais atenção aos veranistas no mar e na areia", afirmou.


214 visualizações0 comentário