Caçada inédita mobiliza policiais da PATRAM Erechim e Nonoai


Ontem (1) a cobra foi avistado duas vezes por populares que participavam das buscas ao corpo do menino

Policiais começam vasculhar as margens do Rio Teixeira, nos municípios de Ipiranga do Sul e Sertão, a procura da cobra que matou o menino Guilherme.

Depois que o IML de Passo Fundo confirmou na tarde desta segunda-feira(1), que o menino Guilherme da Silva(12) foi morto por uma cobra nas águas do Rio Teixeira, em Butiá Grande, na divisa de Ipiranga com Sertão, a PATRAM de Erechim e de Nonoai iniciou na manhã desta terça-feira uma operação para resgatar a suposta Sucuri de aproximadamente 7 metros.

O menino Guilherme foi atacado na tarde de domingo (31) por uma cobra de grande porte enquanto se banhava no Rio Teixeira, que divide os municípios de Ipiranga do Sul e Sertão, na região de Butiá Grande.

Ontem(1) a cobra foi avistado duas vezes por populares que participavam das buscas ao corpo do menino. Moradores da região falam na existência de no mínimo quatro dessas cobras gigantes. Há relatos de que elas comem animais domésticos com frequência. Os moradores também relatam que é muito comum encontrarem na mata, vestígios de luta entre as cobras e capivaras, que habitam às margens do rio.

Na tarde de segunda-feira(1), uma equipe da PATRAM esteve na área gravando imagens aéreas para planejar o trabalho que começou hoje cedo. Com o uso de um Droner, os policiais fizeram imagens detalhadas de todos os pontos do rio, em uma extensão de mil metros para cada lado da ponte.

A operação da PATRAM não tem prazo para terminar, garante o Sgto. Molinari, que comanda a mobilização dos policiais para capturar a Sucuri, ou mais de uma, caso se confirme a existência. Se capturada com vida, a cobra deverá ser levada para um local dotado de cativeiro seguro, possivelmente uma universidade da região.

O CBMRS, com sede em Getúlio Vargas, na data de 31.12.2017, recebeu um chamado de afogamento ocorrido em decorrência de ataque de cobra, na localidade de Linha Butiá Grande, em Ipiranga do Sul. No local, foi narrado que o réptil havia atacado dois jovens, sendo que um foi levado para dentro do Rio Teixeira. Foi efetuado buscas com o uso de garateia e mergulho (sem equipamentos) na área imediata do possível afogamento, mas sem sucesso.

Foi mobilizada a PATRAM da Brigada Militar, equipe de Mergulho e Cães de do 7BBM, para buscas coordenadas e em conjunto no dia seguinte, porém o corpo do Jovem de 12 anos foi localizado por familiares e vizinhos na manhã de 01.01.2018. O Corpo foi encaminhado à perícia na cidade de Passo Fundo, onde, aguarda-se resultado formalizado do órgão sobre possível ataque da serpente.

Nesta manhã, o CBMRS e a PATRAM da Brigada Militar continuam as buscas na região a fim de se localizar a suposta serpente.

Informações dão conta de que havia um morador que trouxe da região central do Brasil, a aproximadamente 20 anos, cobras; e que as criava em um açude que veio a se romper, levando os animais ao Rio Teixeira.

Pela devida precaução que se exige, orienta-se que não se transite no local (próximo ao rio) até que o fato seja devidamente esclarecido, por grave risco à vida que esse tipo de animal pode causar.

A Sucuri

A sucuri tem os mesmos hábitos dos outros constritores (cobras que apertam suas vitimas). Grande e noturna, a sucuri geralmente vive sozinhas nas florestas matas tropicais da América do Sul. Seu habitat são os pântanos ou os galhos baixos das arvores próximas da água parada. Ela fica a espreita de sua vitima.

Geralmente a vitima e puxada para dentro da água depois de ser segura pela boca da cobra. Na água ela e sufocada por uma serie de constrições e afogada ate morrer.

Fonte: Portal AU de Erechim


244 visualizações0 comentário