Familiares fazem apelo para encontrar agricultor desaparecido há 38 dias


Há 38 dias, Sezinando Santos dos Santos, conhecido como Macega, de 47 anos, está desaparecido. Conforme José Eurico Dos Santos, ele acredita que o irmão esteja morto. Em entrevista ao PAT ele contou que um conhecido o procurou na sua casa no bairro Gamino e informou que Sezinando havia sido assassinado. Desde então começou uma peregrinação entre Delegacia, Brigada Militar de Manoel Viana, Policia Civil de Alegrete e Ministério Público.

José destaca que o irmão morava há oito anos no assentamento santa Maria do Ibicuí em Manoel Viana e era dono do lote 144. Ele soube que três meses atrás, Sezinando teve um desentendimento com um homem que mora nas proximidades e o motivo seria por disputa de terras. No último dia em que foi visto, o alegretense estava numa cancha de bocha e ao sair foi acompanhado pelo desafeto e mais dois homens.

Testemunhas disseram que poucos minutos depois ele foram em direção ao mato que ficava perto.Eles afirmam ter ouvido três disparos de arma de fogo. A bicicleta em que Sezinando usava também sumiu.

“Acredito que meu irmão esteja morto, ele nunca ficou sem dar notícias, além de estar com 12 mil reais. O dinheiro não foi encontrado e na casa estão todas os móveis, roupas e pertences dele. Se tivesse viajado teríamos alguma informação. Todos os familiares foram comunicados e ele não entrou em contato” – comentou.

Durante este período, José ligou várias vezes para o celular do irmão. No início uma pessoa atendeu, mas não quis se identificar. Depois está somente na caixa postal.

O desespero de José, é devido ao fato de que mesmo depois de ter procurado a Polícia Civil em Alegrete, ele não obteve nenhuma informação quanto ao possível paradeiro do irmão ou até mesmo do corpo. “Repassei todas os detalhes que consegui e ouvi que teria que ser investigado por são Francisco de Assis, mas não temos familiares naquela cidade. Não entendo o porquê dessa volta.” – destaca.

José procurou pela reportagem para pedir que as pessoas que possam ter informações sobre o que aconteceu naquele dia, além do que já foi informado, principalmente sobre onde possa ter sido deixado o corpo do irmão, que entrem em contato com a Policia Civil ou com a Brigada Militar e façam denúncias. ” Nossa mãe é uma idosa, está com 87 anos, já não come direito e está aflita. Se o resultado realmente se confirmar, queremos pelo menos dar um enterro digno ao meu irmão” – conclui.

Na primeira semana, quando soube do que tinha acontecido, José realizou buscas e quase sofreu uma fatalidade porque ao encostar numa cerca levou uma choque. Ele contou que caiu desacordado perto de uma poça de água. Foi então que decidiu buscar ajuda junto aos órgãos para resolver a situação.

Fonte: Portal Alegrete Tudo


117 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo