Acusado da morte de enteado retirou documentos falsos na Fronteira


Guilherme Longo, que confessou ter matado o enteado Joaquim Ponte Marques no interior de SP, foi preso nesta terça-feira (27) em Barcelona, na Espanha. Ele estava foragido desde setembro do ano passado.

A prisão de Longo foi feita pela Interpol em conjunto com a polícia espanhola.

A suspeita é que o criminoso tenha usado o passaporte do primo, Gustavo Triani, para fugir do Brasil.

Guilherme Longo obteve um habeas corpus e deixou a cadeia, em Tremembé. Logo em seguida ele desapareceu e passou a ser considerado foragido.

O Ministério Público pediu a inclusão dele na lista de procurados da Interpol.

O pai de Joaquim chegou a fazer uma campanha em Ribeirão Preto, ao colocar a foto do foragido espalhada em outdoors.

Passagem pela Fronteira da Paz

A Policia Federal descobriu que Longo usava o nome de Gustavo Triani, um primo, e teria feito o RG, um CPF, um título de eleitor e o passaporte na cidade de Sant'Ana do Livramento, na Fronteira com Rivera/Uruguai. Os documentos são autênticos, mas as informações são falsas. “O Guilherme utilizou uma certidão de nascimento do Gustavo para confeccionar. O passaporte foi confeccionado no dia 27 de dezembro de 2016.

As investigações vão provar se ele teve ajuda de outra pessoa, como a de seu pai que depositou R$ 100 mil em uma conta para supostamente ajudar o filho”.

Fonte: Rede Globo, Portal R7 e Correspondente O Repórter


831 visualizações0 comentário

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções