Tiros, tijoladas e criança como refém; A violenta noite em um bairro de Dom Pedrito


Parecia filme de terror o que viveu uma família moradora da Vila Argeni, mas infelizmente era mais um confronto entre as gangues do São Gregório e da Vila Argeni. Desta vez, por volta das 23h15 desta quinta-feira (23), dois indivíduos do bairro São Gregório, tripulando uma motocicleta, invadiram o bairro rival e, próximo a uma praça onde encontravam-se os membros do grupo rival, atiraram várias vezes, porém não lograram êxito em acertá-los.

Segundo o inspetor Lauro Telles, para defender-se, um dos indivíduos do grupo que estava sendo alvo dos disparos, jogou um tijolo contra a dupla, quando Marcos Junior Ferreira Rodrigues, 18 anos, que estava no carona da moto e portando uma arma, acompanhado de um adolescente de 15 anos que conduzia o veículo, acabaram sendo derrubados da moto e caindo no chão. O adolescente conseguiu se levantar e fugir no veículo. Já Marcos Júnior correu por alguns metros, invadiu uma residência e, por alguns momentos, fez uma criança como refém, apontando, segundo o pai da própria vítima, um revólver calibre .22 para a cabeça da sua filha.

A Brigada Militar chegou na casa, que estava cercada por indivíduos da Vila Argeni e prendeu Marcos Junior, que foi levado para o Esquadrão da Brigada Militar onde confessou ter atirado, pois, segundo ele, queria matar seu inimigo, conhecido como “Manchinha” – um velho conhecido da Polícia. O adolescente foi apreendido logo depois que procurou o Pronto Socorro para tratar de suas escoriações provocadas pela queda da motocicleta.

Para que fossem realizadas diligências afim de localizar as vítimas e a moto utilizada no crime, a BM convocou, em caráter de emergência, três policiais que estavam de folga para que auxiliassem a Polícia Civil na elucidação deste fato – o que ocorreu poucas horas depois, quando a moto foi localizada em uma residência da rua 21 de Abril e os cinco indivíduos da Vila Argeni foram conduzidos à delegacia de polícia para prestarem depoimento.

Marcos Junior irá responder por tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e cárcere privado. O adolescente apreendido em flagrante será apresentado ao Ministério Público acusado de tentativa de homicídio. O MP decidirá se pede ou não a internação do menor de idade na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) ao Poder Judiciário. Caso o MP peça e o PJ atenda o pedido, ele pode ser encaminhado para a Fase ainda hoje.

Fonte: Portal de Notícias Qwerty


310 visualizações

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções