Aprovado: Um muro da vergonha


Em pleno século XXI, quando tentamos derrubar paradigmas sociais, políticos, religiosos. E que não podemos tristemente esquecer do holocausto onde milhões de judeus foram mortos por um louco, Auschwitz, apartheid (segregação racial adotado de 1948 à 1994,na África, negros na maioria cerceados em seus direitos pela minoria branca ).

Em sua obra "Política " Aristóteles distingue regime político e forma de governo e o número de governantes segundo ele : Monarquia (poder de um só ), Oligarquia (poder de alguns poucos ) Democracia ( poder de todos ). Aí perguntamos em qual destes regimes está inserido os Estados Unidos da América? É claro que você responderia democracia. Onde como democracia representativa : "em que a regra da maioria é temperada por direitos das minorias (?) protegidas por lei ".

Quando estudamos tudo isso e é claro entendemos regimes e formas de governar, mas não conseguimos formar uma ideia de fechamento de

fronteiras.

Novamente um muro separará pessoas, seres humanos, assim como foi na Alemanha onde o mundo se dividiu em Alemanha Oriental (capitalista ) e Alemanha Oriental (socialista )durante a guerra fria.

Pois bem no dia 25/01/2017 o sr. Donald Trump, presidente dos Estados Unidos da América assinou o decreto presidencial que prevê "uma grande barreira física " na fronteira com o México. Disse Trump : "uma nação sem fronteira não é uma nação ". Serão 3.200 km a um custo de aproximadamente U $ 25 bilhões.

Não se poderá mais passar a fronteira com naturalidade para fazer compras, nem sequer cruzar para o outro lado, imigrantes indesejados, personas non gratas. Imaginem se a moda pega.

Mas dados nesse momento é o que menos importa, estamos falando de segregar, separar, dividir. Falamos tanto de paz, amor e união, nos deparamos então com um bilionário excêntrico com idéias radicais que decidiu brincar de presidente da maior nação do mundo e egocêntricamente dividir seu reino encantado. Filosofando : " não somos nós que estamos construindo muros? " .Talvez não físicos, mas morais? - Não nos importando com o outro, tratando com desprezo o menos afortunado, discriminando o velho, e colocando mais um tijolo nesse muro, preconceito com o deficiente, o negro ou o indígena ou talvez aquele que não professa nossa religião?

O que não precisamos definitivamente é de muros, barreiras, preconceitos . Mas de unidade, amor, seres humanos é o que somos não mexicanos, americanos, brasileiro ou uruguaios.

Como dizia o velho Raul Seixas : ...eu prefiro ser esta metamorfose ambulante, do que ter uma opinião formada sobre tudo. ....mude quebre barreiras, derrube muros.


81 visualizações0 comentário

© Copyright 2019 Sentinela 24h. Desenvolvido por Gath Soluções